sexta-feira, 26 de maio de 2017

Gratidão x Ingratidão

GRATIDÃO X INGRATIDÃO

Pensando sobre o que escrever neste novo post, me deparei hoje com vários atendimentos no consultório que o assunto presente foi a ingratidão das pessoas. Ao ouvir os relatos percebi que a ingratidão é uma forma de funcionamento mental que gera uma atitude concreta onde o ingrato deixa de reconhecer o que a outra pessoa fez ou faz por ela. Somente isso? Não com certeza não, esse sentimento vem acompanhado de outros como a voracidade (eu quero tudo para mim), a inveja (eu desejo o que o outro tem, ao invés de conquistar por mim mesmo prefiro me apropriar e ao mesmo tempo destruí-lo), soberba (altivez, orgulho excessivo) e onipotência (o que pode tudo).

Tenho ouvido relatos de pacientes, de amigos, de conhecidos sobre esse tema e percebo que ele mobiliza na pessoa que passa por isso outros sentimentos como decepção, traição, muitas pessoas deprimem outros se sentem enganados. Há ainda pessoas que ao viver esta situação além da tristeza diminuem sua auto estima por ter permitido que isso acontecesse em sua vida.

Mas por que será que uma pessoa a qual confiamos, estimamos e permitimos que ela se aproxime da nossa intimidade torna-se ingrato?

Acredito que é aqui que acontece o erro, o ingrato sempre esteve lá, foi você que não percebeu, muitas vezes por carência, outras porque acreditou que aquela pessoa seria diferente com você e que realmente era seu amigo.

O ingrato tem em si o sentimento do orgulho, da inveja, do egoísmo, da falta de reconhecimento, não se coloca no lugar da outra pessoa, sua principal característica está em olhar somente para si, mesmo visando seus próprios interesses. Descartam com grande facilidade os que estavam ao seu lado, muitas vezes indo embora sem se despedir já que não existe mais interesse em ficar.

Sabe de uma coisa? Foi ótimo ele ter saído da sua vida, uma hora isso iria acontecer, apesar da dor que você sentiu ficou livre de quem nunca foi verdadeiro, e pior só estava com você por interesse. Responda você precisa passar por isto?

Já há pessoas que são extremamente gratas, reconhecem que para ser feliz consigo mesmo, em suas relações ou profissão em algum momento necessitou do apóio de alguém. Valorizam e sentem gratidão pelo que o outro fez a ele. Ao reconhecer que recebeu algo bom do outro aprende que também tem a capacidade de realizar outras experiências significativas como, por exemplo, auxiliar outras pessoas.

Estudiosos do comportamento acreditam que esta característica se inicia na primeira infância através do modelo familiar e do ambiente em que a criança esta inserida. Há autores psicanalíticos que defendem a idéia que ser grato esta relacionado ao amadurecimento emocional e para isto é necessário trabalhar elaborando sentimentos como rivalidade, inveja , onipotência etc..

É você reconhecer que para ser feliz precisa do outro e que este outro não é melhor nem pior, ele é só diferente de você, mas tem a capacidade de se colocar no seu lugar e ajudá-lo.

Entre a gratidão que é a capacidade de reconhecer que o outro lhe deu algo como afeto, conhecimento, amizade e etc. e que ao receber sua vida ficou melhor e a ingratidão que é a falta desse reconhecimento. Depende de você e a maneira de como você escolheu de estar no mundo, o jeito que cada um de nós, se posiciona na vida, uns apostam no bem, em estar junto, outros apostam no egoísmo o que em algum momento o deixará só.

Portanto faça sua escolha.

Teresa Zogaib