quinta-feira, 11 de junho de 2009

Milton Carlos


Cantor. Compositor.
Irmão da compositora Isolda e seu grande parceiro musical. Começou a interessar-se pela música, ainda criança, fazendo estórias e músicas para teatrinhos de bonecos com a irmã.
Faleceu em 1977, num acidente de carro na via Anhanguera, em São Paulo. Sua morte provocou grande repercussão na imprensa, especialmente na mídia paulista.

Atuou com a irmã, Isolda, como backing vocal.
Gravou seu primeiro disco em 1970, tendo como destaque as músicas "Desta vez te perdi", "Tudo parou", "Eu vou caminhar" e "Um presente para ela", parcerias com Isolda.
Em 1973, gravou "Samba quadrado" e "Você precisa saber das coisas", também parcerias com a irmã. Nesse mesmo ano, teve a primeira de suas composições gravadas por Roberto Carlos, "Amigos, amigos".
Dois anos depois, lançou novo LP que trazia algumas de sua composições com Isolda, entre as quais, "Amanhã é outro dia", "Foi ela um tema de amor", "Eu juro que te morreria minha" e "Tele-rodovia".
Em 1976, Roberto Carlos emplacaria dois grandes sucessos de Milton Carlos e Isolda: "Pelo avesso" e "Um jeito estúpido de te amar".
Nesse ano, o quarto LP de Milton Carlos foi lançado, trazendo novas composições suas com Isolda, como "Uma valsa, por favor" e "Último samba-canção".
Seu último LP foi lançado em 1977, com novas parcerias com a irmã, tais como "Enredo", "Ana Cláudia", "Maria de tal" e "Saudade do Bexiga". Quando faleceu, fazia grande sucesso nas rádios com a regravação da marchinha "Dorinha meu amor", de J. Francisco de Freitas.