sábado, 11 de março de 2017

ESTRANHO?

Não é a piada que conto ou a palhaçada que faço, que me deixa feliz, mas a gargalhada de quem ouve
Se o presente que ganho me deixa sem graça, o que dou me faz duplamente feliz.
Me deixa, me faz, mas não se eterniza
Não é o copo que não viro que me faz melhor, mas o saber de não  poder virá-lo
Não é a falta de afago que me deixa triste, mas a negação gratuita
Lembro que nos idos dos anos 90, saía de madrugada a fotografar igrejas de minha cidade. Estranho?
O tempo passou, fui ficando "normal", me roubei de mim
Me dei mal?
Não é fantasia sonhar que um dia vou me encontrar
É só alegria de numa euforia realizar
Não é essa quase incerteza, a rosa da natureza me enfeitar
Se sonho um sonho imenso, porque me sentir assim tão tenso, não posso parar
Parar do lado de lá

segunda-feira, 6 de março de 2017

A ingratidão, porque dói

Tenho o mesmo pensamento de alguns líderes religiosos. A gratidão é o sentimento que mais agrada a Deus.
O ingrato anda na contramão.
É fácil percebermos que o ingrato também é egoísta.
Se acha simplesmente merecedor de todas as coisas. Por isso não sabe agradecer. Não sabe retribuir.
O pior dos ingratos é cruel, devido ao egoísmo de sua essência.
Ele não dá, não empresta, não te estende a mão.
Mas o ingrato tem uma peculiaridade interessante. Quando pra satisfazer seus anseios, mergulha no êxtase da hipocrisia. É cordato, gentil, meigo.
Atinge o objetivo e, pra surpresa geral, exibe um ar de insatisfação, sugerindo que não era bem aquilo que almejava.
Porque o ingrato se delicia em transferir responsabilidades.
Coitado de Deus! "Deus me guarde, Deus me livre, Deus me faça a feira".
A dor? Fica em quem ama o ingrato. Dado ao sentimento de impotência, diante de um horroroso sentimento.
O ingrato é um acumulador. Está sempre querendo mais e, nunca para de querer.
A ingratidão dói, dói, dói, dói. . .

domingo, 5 de março de 2017

Eu não gosto de você

Você é um hipócrita moderno, capaz de sentir até o que diz que sente. Mas não auxilia ninguém.
Hipocrisia moderna crocodiliana, perversa.
Você é um ingrato classe A. Não agradece, não retribui. Se vinga.
Você é um egoísta cruel, pura maldade disfarçada de mel.
Você é um bandido anormal. Não quer facções, nem uniões. Você é um mal.
Você nem sabe enganar bem. Mas é irritante teu anel de brilhante que só você tem.
Eu não gosto de você. Quase ninguém, gosta de você.
Mas um dia você vai poder desfrutar das sementes que você semeou
Mas um dia você vai poder degustar, o pão que o diabo amassou

sexta-feira, 3 de março de 2017

O amor e o medo

O amor e o medo são primos. Quando não encontram extremos, são nulos. O tamanho do meu amor é o tamanho do meu medo.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Bom dia, Cinho (Mauricio C Soares)

São Luís, 07 de fevereiro de 1971. No mesmo Hospital em que nasci, chegava meu irmão amado, Mauricio. Seu nome seria Marcelo, mas Deus mudou no último minuto para Mauricio, que coisa linda. Chegaste me dando um chega pra lá e, passaste a ocupar a janela do caçula. Lindo com seus cabelos lisos que lhe caíam tão bem. Com uma infância adorável, embasada no amor de todos nós. Saiba, meu amado, que tu és a pessoa mais simples e até enigmática que conheço. És puro, criterioso. Introspectivo, fechado em si e, ao mesmo tempo, és a pessoa mais aberta a ouvir. E quando ouve, tens a atitude dos grandes. Porque nessa hora, levanta o olhar e nos olha nos olhos. É FASCINANTE isso. Não gosto do time que você torce, mas fazer o que? Meu irmão, de todo meu coração, eu te amo. Ah!, ia esquecendo: Feliz aniversário. Beijão

sábado, 4 de fevereiro de 2017

FÉ CEGA, FACA AMOLADA

Agora não pergunto mais pra onde vai a estrada
Agora não espero mais aquela madrugada
Vai ser, vai ser, vai ter de ser, vai ser faca amolada
O brilho cego de paixão e fé, faca amolada
Deixar a sua luz brilhar e ser muito tranqüilo
Deixar o seu amor crescer e ser muito tranqüilo
Brilhar, brilhar, acontecer, brilhar, faca amolada
Irmão, irmã, irmã, irmão de fé, faca amolada
Plantar o trigo e refazer o pão de cada dia
Beber o vinho e renascer na luz de todo dia
A fé, a fé, paixão e fé, a fé, faca amolada
O chão, o chão, o sal da terra, o chão, faca amolada
Deixar a sua luz brilhar no pão de todo dia
Deixar o seu amor crescer na luz de cada dia
Vai ser, vai ser, vai ter de ser, vai ser muito tranqüilo
O brilho cego de paixão e fé, faca amolada

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Minha amada Mãe. Seu aniversário 27/01

Minha gestação, meu parto e a alimentação preservadora da vida, nascida nas suas entranhas; mesmo se as vezes com as melhores intenções, não tenho sabido como cumprir os deveres livremente assumidos e aceitos, lhe concedem crédito para ser exemplo considerado. Meus sentimentos de respeito, ternura e amor por você são a minha base concreta para uma auto-realização, para o equilíbrio das minhas tantas "emoções", liberando-me internamente de quaisquer reminiscências amargas ou pertubações geradoras de sofrimentos. seus sacrifícios e dedicação, as horas infindáveis de vigília e de renúncia em favor de mim e todas as promessas que se foram tornando realidade já mereciam, merecem serem levadas em conta. Hoje vejo em tudo que amo, a projeção maternal positiva, agradável, proporcionando-me forças para a preservação ou restauração da saúde, para a liberação dos sofrimentos e do bem estar, que são as condições essenciais para a felicidade. preciso deixar crescer o desejo de devolver por natural fenomeno de retribuição a bondade, jamais desenvolvida no meu mundo interior. Essa bondade, que se pode denominar como dever retributivo abre espaços ao hábito para outras formas de manifestá-la. abre espaços que me deixam muito a vontade para te dizer, te amo, mesmo sendo assim do jeito que sou; temperamental, grosseiro, incansável no que hoje acredito, com a certeza de filho, filho de Deus, com a beleza de filho teu.

Acabei de ler o Diário de Anne Frank, comovente. Cheguei à conclusão de que ela foi a única pessoa no mundo que conseguiu ser o que sonhara, mas não ficou sabendo disso. Seu sonho era ser escritora. Comparei mesmo sem querer, suas vidas. outros sonhos que Anne tinha, a senhora minha Mãe conseguiu realizar. Ser Mãe, tarefa dificil, foi destemidamente encarada com a fortaleza de uma Anne e a esperança que não cessa de repousar na Senhora. Talvez pela visão privilegiada que Deus lhe deu, saiba que seguiu certinho tudo o que devia e podia fazer pelos seus filhos. Como dizia a Anne: "Os pais só podem nos dar conselhos e direcionamentos. Mas o caráter de cada um cabe a nós formarmos". Mas a Sra é impar, e sabe disso. Nenhum momento em nossas vidas deixou de cumprir com afinco todas as atribuições que pensava e pensa ter como Mãe. Penso comigo e não lembro de momentos extremos. Vejo-a como és, e gosto do que vejo, gosto do que sinto. O Amor não é sentimento tão fácil de conceituar. Acho que ele se funde numa só coisa, mas é complexo. Visto que diferencia em intensidade. A Senhora pode ter seus questionamentos em relação ao meu comportamentos às vezes "destemperados", mas saiba que é pela Senhora que sinto o meu amor mais intenso. A Senhora é fácil. E se é assim que a vejo não é por causa dos meu pseudos destemperos, mas pela sua presença em mim. A Senhora me dá a liberdade de viajar nas minhas melhores imaginações. Credito à sua presença em minha vida como fator determinante pelas coisas boas que habitam em meu ser. Sou grato a Jesus por isto. É certo que formei meu caráter sozinho, mas os pré requisitos me foram dados em casa. Tenho orgulho da Senhora. Hoje é seu aniversário, imagino que em plena segunda guerra mundial, a senhora tenha nascido pra compensar o mundo por grandes perdas que teve. Muito mais aniversários estarei aqui, para dizer-te de todo meu amor.

sábado, 7 de janeiro de 2017

São Luís, 08 de janeiro de 2017

Pai, hoje é seu aniversário. Penso que tinha muitas coisas pra lhe dizer, mas cometi o pecado de ouvir algumas canções do Chico Buarque e, acabei me deixando levar inquietamente à mágica do fascínio e fantasia, As trocas de correspondências entre Chico e Vinícius, o bilhete da Zuzu Angel, as cartas do Tom... Tudo isso mexe muito comigo. Nessas horas, meu Pai, te vejo entre eles... Como naquele dia de outubro de 1984 na Adega do Césare em Copacabana, que talvez você nem lembre, mas, eu senti um orgulho da porra em ser teu filho. Você é assim: Grande sem precisar querer e Gigante por só ser. Segue uma letra que coloco sem propósito específico, mas um agradecimento a Deus por todas essas coisas.  



Por esse pão pra comer, por esse chão pra dormir
A certidão pra nascer, e a concessão pra sorrir
Por me deixar respirar, por me deixar existir
Deus lhe pague

Pelo prazer de chorar e pelo "estamos aí"
Pela piada no bar e o futebol pra aplaudir
Um crime pra comentar e um samba pra distrair
Deus lhe pague

Por essa praia, essa saia, pelas mulheres daqui
O amor malfeito depressa, fazer a barba e partir
Pelo domingo que é lindo, novela, missa e gibi
Deus lhe pague

Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir
Pela fumaça, desgraça, que a gente tem que tossir
Pelos andaimes, pingentes, que a gente tem que cair
Deus lhe pague

Por mais um dia, agonia, pra suportar e assistir
Pelo rangido dos dentes, pela cidade a zunir
E pelo grito demente que nos ajuda a fugir
Deus lhe pague

Pela mulher carpideira pra nos louvar e cuspir
E pelas moscas-bicheiras a nos beijar e cobrir
E pela paz derradeira que enfim vai nos redimir.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Há muita coisa além de querer Justiça (A CORJA DO OLHO D'ÁGUA)

Quando vemos nossos cofres roubados à exaustão e, temos em nossa cultura a "aceitação" dessa prática, chegamos a conclusão de que somos vítimas do costume desde 1500. A justiça seria feita se retornasse aos nossos cofres, cada centavo do que nos foi roubado. Mas não voltará. Sobre a Justiça existem várias óticas. No exemplo citado, se tivéssemos cada centavo de volta, a Justiça estaria feita. Essa é uma ótica única. Na série JUSTIÇA da Rede Globo, pudemos ver isso claramente. Quatro histórias que nos fazia refletir, analisar fundo e ver que a JUSTIÇA não aceita uma definição única. Mas, essencialmente aqui estou pra falar que após dois anos passados do assassinato de meu sobrinho,  BRUNNO EDUARDO, cheguei a conclusão de o que queremos, ultrapassa qualquer conceito do que chamam JUSTIÇA! Queremos resgatar nossos direitos de sonhar, viver, sorrir... Nenhuma justiça repararar o efeito aberto em nós. Não curará o que não tem cura, nem nunca terá. Numa análise fria com ajuda de Deus, fico com os relatos dos meus, das vítimas. Não gostaria de sujar meu Blog tendo que escrever nome que não ouso pronunciar, mas é preciso. DIEGO POLARY, VOCÊ ASSASSINOU UM HOMEM DE DEUS, UM HOMEM DO BEM. Você plantou em nossos corações a pior semente que poderias semear, com isso, vez ou outra vejo despertar em mim os sentimentos mais primitivos da raça humana. Tendo desvencilhar tais sentimentos, mas confesso ser difícil. Pro padre não conto meus pecados, talvez seja falta de hábito. Porém não consigo esconder de Deus o que sinto. Você e seus comparsas são os pulhas, estorvos que sujam seus espíritos fazendo doer tantas almas boas. Tua consciência sofrerá contigo. Corra de si, não terá jeito. Não verei você pagar sua dívida para com o BRUNNO, pois nenhuma justiça será capaz de me satisfazer. Para meu irmão, pai do BRUNNO, você não tem ideia do mal que fez. Não te darei o prazer de aqui relatar. Mas poderia parafrasear algumas canções que relatam nossa realidade. O júri de fevereiro de 2017, será mais um júri. Acabará com nossa ansiedade. Qualquer que seja o resultado, não sairemos de lá tendo o BRUNNO ao nosso lado. Talvez tenhamos em algum momento confundido as mentes doentias. Mas até os "Covardes" tem seus limites. Vocês vivem em outros mundos e, não conseguem perceber as prisões que construíram. E vamos seguindo com paciência. "Pela cachaça de graça que a gente tem que engolir. Pela fumaça desgraça que a gente tem que tossir. E pelos andaimes pingentes que a gente tem pra cair, Deus lhe pague" Há muita coisa além de querer Justiça

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Quando um avião cai

“Quando um avião cai a gente cai junto. Um avião transporta mais do que vidas, transporta sonhos. É o pai que está indo reencontrar os filhos, é a mãe que está indo buscar o sustento de sua família, são pilotos que planejam estar em casa ao jantar e a aeromoça que leva na bagagem o perfume favorito do namorado.

“Quando cai um avião a gente cai junto, pois quantos de nós viram os sonhos começar dentro de um avião. A viagem tão esperada, a assinatura de um contrato, o encontro com alguém com que tanto sonhamos estar junto.

“Aviões partem rumo a sonhos, e era isso que cabia também nesse trágico voo que quase chegou a seu destino. Jogadores que representavam o sonho do menino que quer ser jogador, jogadores que representavam seus familiares, seus torcedores.

“Quando um avião cai todos nós caímos juntos. Morrem sonhos, morrem encontros que não vão mais ocorrer, morrem saudades que não vão ser vencidas e que dali por diante vão apenas crescer e se tornar um buraco junto a quem nunca chegou.

“Quando um avião cai a dor é compartilhada, pois todos nós somos torcedores, torcemos para quem amamos, torcemos para logo poder dar o abraço, torcemos, pois ninguém sonha sozinho.

“Hoje esse humilde time de Santa Catarina tem a maior torcida do mundo, pois quando sonhos despencam do céu a solidariedade é a única camisa que todos vestem, pois essa é a única camisa que nesse momento nos conforta.

Felipe Sandrini

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Morrer assassino engenheiro

morrer, assassino engenheiro
nem toda árvore dá fruto
nem toda planta é engenharia
mas todo assassino arquiteta
nem todo bandido é maluco
mas a lei certa é a do senso comum
morte ao assassino engenheiro
morte à maldade do mundo
celebremos  a subida dos bons
e os maus no inferno profundo!

Que tal um reggae? (Tradução de minha letra: Die go Keller enginner) perdão pelo mal inglês

Die go killer engineer

die go killer engineer
not every tree bears fruit
not every plant is engineering
but every killer architect
not every bad guy is crazy
but the law is the common sense
death to the killer engineer
death to the evil in the world
Let us celebrate the rise of the good
and the wicked in hell!