segunda-feira, 28 de maio de 2007

Quando Deus me estende as mãos


Quando as dores pesam em meu penar, os tropeços me fazem chorar, eu não te vejo, não me entrego ao teu olhar. Mas, mais tarde a tristeza e a dor, insurportáveis me levam a buscar o teu amor. E é nele que encontro explicação para tudo o que penso ser um não. Senhor, quando me estendes a mão, sei que sou amado no teu coração. Senhor quando eu fraquejar não te importes logo vou olhar, tua luz, meu Jesus, ilumina minha vida. E essa lida de penar, nada é para quem em ti tem fé. Mil perdões eu te peço, mil razões ofereces para que eu viva em ti, alivia minha dor, eu não sou um sofredor, porém sem ti eu nada sou. Que eu suporte os obstáculos e aumente a minha crença. Se sou forte, mais serei com tua presença.