quarta-feira, 6 de julho de 2016

Meu triste

Da janela posso vê
esse céu escurecer
e chorar
Num lamento momentâneo
eu me sinto tão estranho
ao calar
Minhas dores tão intensas
buscam enfim na minha essência
acalmar
Essa voz que eu já não tenho
Me surpreende quando eu quero
cantar
Eu vou quebrar as correntes
vencer os meus medos. Eu vou
Eu sou a força de um frágil
onde a arma é o amor
Eu vou quebrar as correntes
dos velhos lamentos de dor
Eu sou o triste alegre
que morre e vive de amor