terça-feira, 5 de abril de 2016

Pra que?

Deve ser certo dizer que certos "dissabores" por quais passamos na vida, deva servir pra alguma coisa. Por certo deveríamos aprender com as dores. Aprendemos? Não sei. Eu não sei. A sensibilidade é uma dádiva. A hipersensibilidade é uma doença. Eu tenho isso. Eu tenho isso em mim. Nasci assim? Não sei. Eu não sei. Se tudo tem uma origem, onde, quando isso começou? ? ? Mas quando estamos tendo quase certeza de que sabemos sobre algo, vem um turbilhão de questões que sem respostas nos rouba de nós, me rouba de mim. E mergulho fundo sem mais sofreguidão, no riacho das lágrimas tristes dos mesmos ais. Esse transtorno ansioso desafiando até os sábios, a quem não ouso perguntar nada, nada sobre isso tudo. E calado de vergonha, repito, repito pra mim só, que a única experiência que não ensina nada pra próxima que vem, que virá, é essa coisa que me deixa catatonico, imbecilizado, atordoado. E eu fico assim, quase só, ou só. Eu não sei, não sei!