segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

A INSANIDADE DE UM DELEGADO TOTALMENTE INOPERANTE (Extraído do Blog Domingos Costa)

Sem condições morais de permanecer à frente da investigação do assassinato do advogado Brunno Matos, ocorrido na manhã do dia 06 de outubro de 2014, no bairro Olho D´Água em São Luís, o insano delegado Márcio Dominici, que estava à frente do inquérito, acreditem,
decidiu processar o pai da vítima.
O incansável Rubem Soares, que ainda sofre muito pela perda de Brunno, não para de lutar por justiça no caso que covardemente ceifou a vida do seu filho. Por essa razão, foi alvo do delegado Dominici, que agora move uma ação por danos morais no 8° Juizado Especial Cível das Relações de Consumo contra o ‘lutador’.
Tido como “correto e incorruptível”, o delgado alega que teve sua honra atingida pelas declarações de Rubem Soares no facebook, quer que o pai do advogado assassinado lhe pague o valor de R$ 31.520,00 por danos morais. É mole?
As criticas da família da vítima direcionada a Márcio Dominici, se justificam pelo fato do delegado ter descartado a participação do acusado Diego Polary no caso. Mesmo as provas sendo claras: Em seu depoimento, Humberto Marão (outro acusado), tio do Diego, disse que o sobrinho estava na cena do crime. Soma-se outros dois depoimentos das demais vítimas que reconheceram Polary como sendo autor do assassinato. Contudo, o delegado se fez de mudo, surdo e cego.
Diante da insensatez do delegado em meio ao sofrimento alheio, ficam as palavras e o sofrimento do senhor Rubem Soares: O que lhe parece? Será que isso não causa indignação e revolta. Estou vivendo à base de Clonazepam (droga tarja preta) para poder aguentar tanto sofrimento, e o delegado vem falar em dinheiro? Não tenho dinheiro. Será que sou eu quem vai para trás das grades? Que falta de sensibilidade, deveras triste, muito triste e deprimente o comportamento do Sr. Dominici. Obrigado pela atenção. Abraços! Rubem Soares (com muito orgulho, pai de Brunno Eduardo Matos Soares).”  Eu, Henrique Soares, dou-me o direito de não colocar aqui, a foto desse Senhor delegado.

Acompanhe abaixo trecho do absurdo processo do delegado contra um pai em busca de justiça: