domingo, 4 de julho de 2010

O surfista

O surfista
Por Entre labirintos de Espaços vazios
e ondas pétreas
pisa-SE NA prancha
Como se adentrar-se
Num Mundo desconhecido.
Nada. Nada
e Nada Mais Lindo e Próximo
Que Voar, COM OS Pés fincados Voar
não Parceiro de desafio.
È UM fio daquela emoção
Que liga o circuito
Entre o surfista EO apreciador.
Quimica Perfeita e Uma
Esquerda, direita
Que atinge uma teimosa Todos nessa aflição.
Chegar.Chegar, CAIR jamais. Luta Da Sair
COM OS ohos não Céu e OS Pés no chão.
Anastácio