domingo, 20 de junho de 2010

A História vai dizer... (Por K.Kampus)

A história vai dizer...




Muitos já vivenciaram fatos que já foram distorcidos por canais de comunicação, principalmente quando o interesse na verdade atenta contra a idoneidade de alguém ou de alguma instituição. Não sei quantos acreditam em teorias de conspiração, mas um olhar um pouco mais profundo sobre as coisas dão suporte a sua existência.

Em 1998, o Brasil chegou à final da Copa do Mundo contra os anfitriões, a França.

Uma estranha coincidência me fez despertar para o que viria acontecer naquele jogo.

Fui chamado antes do jogo para atender uma pessoa num Hospital. Ao retornar, já havia iniciado a transmissão do jogo: Na TV aparecia a imagem congelada do estádio Saint Denis e Galvão Bueno fazia um discurso de derrota, antes mesmo de começar a partida.Achei estranho demais.

Na noite anterior havia rumores que a França iria parar por uma greve geral, reforçada pelo bloqueio de ruas e estradas importantes por caminhoneiros.

Juntei as noticias rapidamente e falei para os que assistiam ao jogo comigo: O Brasil se vendeu, perderemos a final. Dito e feito, o resultado é sabido: França 3x0 Brasil.

Na manhã do jogo, aconteceu algo inusitado, não adequadamente explicado e que abre um leque de suposições sobre o ocorrido. Nosso melhor jogador, o Ronaldo teve uma convulsão, “do nada”.

Aponto os seguintes questionamentos: 1) Foi realmente uma convulsão? (2) Se foi convulsão de verdade, qual a origem dessa convulsão? (Envenenamento? Injeção de Anestésico Local direto na corrente sanguínea, por erro numa infiltração no joelho? 3) Seria o problema somente uma crise nervosa (piti, DNV) do jogador erroneamente diagnosticado como convulsão? (4) Qual médico liberaria uma pessoa para jogar uma partida de futebol após uma crise convulsiva, tanto pelo fato em si ,como pelo uso de medicamentos anticonvulsivantes (que são sedativos em sua maioria e causam embotamento, perda de concentração, sonolência)? (5) Não seria mais interessante ter um jogador em plenas condições físicas e mentais, que expor o Ronaldo? Será se o problema do Ronaldo deixou os nossos jogadores tão abalados, a ponto de também parecerem sedados?

Quem se lembra do tempo, o Edmundo, um dos poucos que se esforçaram naquele jogo, disse claramente numa entrevista após o jogo, que um dia a verdade viria à tona. Não por acaso, foi o único jogador que não se deu tão bem após aquela Copa. Todos os outros foram para Europa e se deram muito bem.

Quem se lembra daquele jogo Argentina e Peru na copa de 1978 e que desclassificou o Brasil no saldo de gols, onde muitos especularam que

O Peru se vendeu? Após vinte anos veio a confirmação do ocorrido pelos próprios jogadores da seleção peruana. Talvez Edmundo estivesse falando disso.

Há muitos interesses em grandes eventos esportivos, há muito de política ,seja de instituições futebolísticas, seja de governos; e onde há políticos, há mentiras. Interesses financeiros são claros, pela participação de grandes empresas, representadas por marcas esportivas e outros patrocinadores. O quanto isso influi nos jogos, nas finais, fica por conta do que cada qual acredita. Sinceramente, não me parece que haja isenção, e idéias de venda de jogos, de homens, não é tão fantasiosa.

Talvez , como todo brasileiro , quando o assunto é futebol, eu seja muito arrogante, por não aceitar que Zidane tenha acabado com nossa seleção , que tenha mostrado nossas deficiências crônicas no setor defensivo e que a França realmente mereceu o campeonato.

De qualquer maneira, a França comemorou muito aquela conquista e seus problemas foram esquecidos durante a festa. A greve foi suspensa. O futebol turva consciências, é um ópio do povo.

Algum dia aqueles episódios serão transcritos em alguma página, com a clareza da verdade, longe do tempo, quando os sentimentos estarão dissipados, sem poder causar qualquer vergonha, nem mesmo espanto.



K.Kampus.