quinta-feira, 16 de abril de 2015

E agora, dotô?

Com poucos dias do assassinato covarde que vitimou meu sobrinho, Brunno E M Soares, o (ufa) delegado responsável pelo caso, apresentava à imprensa toda, o então vigia, João,  como sendo o autor daquele episódio covarde. Essa mentira até serviu por algumas horas para baixar a poeira dos que ainda clamam por justiça. Para mim pessoalmente, não serviu pra nada. O que nos surpreende hoje em dia? As palavras do meu outro sobrinho, Alexandre, sempre nos foram suficientes. No nosso íntimo familiar, sem desmerecer qualquer depoimento que ratificam o do Alexandre, sempre tivemos certeza de tudo o que aconteceu naquela madrugada. O que nos parece é que só falam a verdade, os bandidos, assassinos e crápulas. Vejamos: O vigia assume o fato, a Polícia prende. O Alexandre mantém a afirmação de que o autor foi o dj, e a Polícia nem leva em conta. Dias depois o vigia se desmente, e ai? - Não é considerado culpado e está por ali procurando certamente a outra faca. Então dotô, não tem jeito ou nunca teve. Agora, mais do que nunca, a sociedade já fez seu próprio julgamento. Ou melhor: Concluiu o inquérito. Agora a punição não é conosco. Sem citar nomes, somente pra você perder o sono, te incluo também no rol da fama de quem anda pela contra mão.