terça-feira, 23 de novembro de 2010

De onde vem a Lei de Murphy?

leiiii

Vocês já repararam que, quando algo dá errado em nossa vida, costumamos atribuir à culpa desse fato a Lei de Murphy? Imagine que, você tem uma prova na sua escola e, justamente nesse dia, o ônibus quebra, sua carona não aparece e, para piorar, chove. Ou então você está a caminho de uma reunião de trabalho importantíssima e , logo nesse momento, o trajeto que você está acostumado a seguir encontra-se tomado por um congestionamento.

Qual a nossa reação diante de situações como essas? Alguns respiram fundo e não se deixam abalar pelas dificuldades diárias. Outros preguejam contra a humanidade e acham que são as pessoas mais azaradas do mundo. No entanto, ainda que as pessoas possuam diferentes reações, não há quem nunca tenha jogado a culpa na temida Lei de Murphy.

Que a Lei de Murphy está diretamente ligada a fatos negativos, inesperados e azarados, todos sabem. Mas você sabe de onde provém essa irritante lei que afirma que tudo que pode dar errado vai dar errado? A Equipe do Yahoo! Respostas vai contar para você.

A máxima foi fundamentada pelo capitão da Força Aérea Americana Edward Murphy, em 1949, em uma experiência sobre os efeitos da desaceleraçao rápida em pilotos de aeronaves. Para a realização desse teste, ele construiu um equipamento que registrava os batimentos cardíacos e a respiração dos pilotos. Em um determinado momento, precisou consertar um problema no equipamento e viu que todas as conexões estavam instaladas de maneira incorreta. Nesse momento, ele formulou a teoria que afirma que os indivíduos sempre optam pelo jeito errado de construir determinado equipamento se houver duas maneiras diferentes de fazê-lo. Diante dessa epifania, não demorou até que o conceito da Lei de Murphy se popularizasse como uma lei universal.

Justificativa do Azar

Já passou pela sua cabeça que talvez tenha ocorrido não apenas uma popularização da Lei de Murphy como também uma pasteurização do conceito? Afinal, costumamos enfatizar os fatos negativos que ocorrem em nossas vidas tomando como justificativa a expressão. E, quando realizamos algo de bom, muitas vezes nem damos tanta importância.

Estudiosos afirmam que a lei captura nossa imaginação, tirando vantagem da nossa tendência de enfatizar o que é negativo e não enxergar o que é positivo. Sendo assim, toda vez que algum fato desagradável ocorre, associamos o acontecimento à expressão.

É importante sabermos que é natural nem tudo sair como se espera. No entanto, não há nada que vença a força de um pensamento positivo, nem mesmo as leis universais.