sábado, 17 de outubro de 2009

Serenidade


É a ti que eu canto a minha Prece nos momentos de tensão e nervosismo. És tu aquele que me acalma, sereniza e faz tranquilo. É tua presença discreta que me devolve o controle de mim mesmo. És o meu melhor amigo. Muito mais do que amigo, és meu Pai, meu confidente preferido, os ouvidos onde jogo as minhas queixas, os ombros onde encosto a cabeça confusa e machucada. Meu conselheiro calmo e sereno de todas as minhas horas. Não conheço Analista mais profundo e mais sereno, mais fundo. E quando eu menos percebo, ja me devolveste a mim mesmo. Tu me conheces muito mais do que eu me conheço. Antes do meu grito chegar a minha boca, tu estás alí para escutá-lo e me fazer compreender as dores do meu cotidiano. És toda uma escola de amor e de ternura que suavemente me interroga, suavemente me questiona, serenamente dedireciona os meus caminhos. E porque hoje estou sereno, sem os fantasmas de fobias, traumas e tensões, sem o estigma das minhas somatizações, sem grandes rupturas e incertezas. A ti este meu canto de alegria serena. Conselheiro discreto e questionador, tem sido o melhor amigo da minha alma inquieta. Ajudas me a caminhar por entre as tensões, agitações do mundo, seguro de tua presença e do teu carinho. Abro o meu ser e te exponho o que vai la dentro. Não me forças, nem me induzes, refletes comigo e comigo buscas as respostas que me fazem falta. Estou em Paz, respiro e transmito Paz. Por isso este meu canto cheio de sorriso. Amigo meu, conselheiro meu!!!