terça-feira, 8 de abril de 2008

Por que coisas ruins acontecem às pessoas boas?

Quantos de nós não já fizemos essa pergunta? Com certeza muitos. Eu, particularmente penso que pelo simples fato da pessoa ser boa, não está isenta de que coisas ruins lhe aconteça. Talvez aí caiba mais uma argumentação: É justo? - Sinceramente não sei responder, tal condição vai além do meu entendimento, ultrapassando os limites da minha pseuda inteligência. Mas como tudo isso mexe comigo há bastante tempo, fui procurando paliativos que acalmassem minha alma. Pois percebi que quando em algum momento de nossas vidas começamos a fazer esse tipo de questionamento, já sabemos nos colocar como maus ou bons. Sendo assim passamos por diversas fases que enumero da seguinte forma: 1-Porque essas coisas me acontecem? - 2-Porque Fulano é tão mau e só coisas boas lhe acontecem? - Percebo que este é o nosso pensamento primário, mas como em tudo, nos vem a evolução e passamos para um estágio 2 onde evoluímos deixando os "maus" de lado, não nos importando com o que de bom lhes aconteça. Estivemos anteriormente na verdade revoltados, quando tudo nos parecia às avessas. O bom e o bem para os maus, e o mau e ruim para os bons. Então percebo que não tive, não tenho como fugir da minha única saída que ontem, que hoje acalenta meu Espírito: O fato de sermos bons não nos isenta de que coisas ruins nos aconteçam. Paradoxamente, parece uma matemática onde dois e dois são cinco. Penso que somos cobrados ainda mais pelo simples fato de sermos bons (Teste de Perseverança). Sofremos porque amamos, e alguns para tentar se livrar do sofrimento tem buscado deixar de amar as pessoas e as coisas da vida. Mas nós não fazemos assim ! não desistimos de amar, porque desistir de amar é como desistir da vida, desistir de amar é como desistir de ser ! amar é a essência da vida com o próximo e com Deus, e com certeza este amor quanto mais intenso for, mais vai envolver dor e sofrimento que vem acompanhando o gozo da troca do amor com o próximo. E nesta jornada de amor, percebemos que quando o que amamos nos é tirado por alguma razão, ou sem nenhuma, nossa fragilidade vem a tona, nossa dependência de Deus vem a tona, e percebemos que a dor é um caminho seguro para nos ensinar a depender de Deus. Aproveito para quase parafrasear um grande filósofo que falou mais ou menos assim " Não importa o que fizeram comigo, mas sim o que vou fazer do que fizeram comigo". Somos únicos, somos bons. Pra você que sugeriu este tema, gostaria de falar-te o quanto o admiro, o quanto o respeito. Considerando-me uma pessoa boa e também as vezes vítima de coisas não tão boas assim, saiba que estamos no mesmo barco e que esse barco não é tão seguro assim, mas somos mais fortes que ele. Um abração! - Segue um texto abaixo, talvez Filosófico demais....